parallax background

Aqui é (mesmo) para comer

29th March 2019
Momento gourmet da semana
28th March 2019
Panquecas Na Pas de Quois Featured
Paris na avenida
1st April 2019

Às vezes é preciso ter mais barriga que olhos. Se for ao restaurante Alcanena, na Quinta do Anjo, em Palmela, convém que assim seja.


É um all you can eat, com um buffet completo e de qualidade por 20€.

Quem vai ao Alcanena é para comer. Não pense em ir para petiscar, embora haja petiscos deliciosos. O restaurante serve muita e boa comida tradicional portuguesa em versão buffet.

Sim, tem feijoada à transmontana, pezinhos de porco de coentrada, favas caramelas, migas, sopa da pedra e caldo verde. Mas a gastronomia portuguesa é tão rica que seria um desperdício ficarmos só por aqui.

Portanto, espere um encontro imediato com umas belas travessas de arroz de pato, choquinhos, empadão de perdiz, açorda de gambas, massa com carne e enchidos, bacalhau espiritual ou com natas.

Às vezes é preciso ter mais barriga que olhos. Se for ao restaurante Alcanena, na Quinta do Anjo, em Palmela, convém que assim seja.


É um all you can eat, com um buffet completo e de qualidade por 20€.

Quem vai ao Alcanena é para comer. Não pense em ir para petiscar, embora haja petiscos deliciosos. O restaurante serve muita e boa comida tradicional portuguesa em versão buffet.

Sim, tem feijoada à transmontana, pezinhos de porco de coentrada, favas caramelas, migas, sopa da pedra e caldo verde. Mas a gastronomia portuguesa é tão rica que seria um desperdício ficarmos só por aqui.

Portanto, espere um encontro imediato com umas belas travessas de arroz de pato, choquinhos, empadão de perdiz, açorda de gambas, massa com carne e enchidos, bacalhau espiritual ou com natas.

Alcanena

Morada

Rua Venâncio da Costa Lima, 99
Quinta do Anjo, Palmela

Preço
Distância ao centro

  • 100%

Folga semanal

Quarta-feira e domingo ao jantar

Publicidade
Vertigem MREC #3
 

A desafiar os apetites mais vorazes há também pezinhos com feijão branco, soufflé de espinafres, sopa de cação, mão de vaca com grão e feijoada de choco.


Todos os pratos são apresentados em terrinas de barro, que estão assentes em patuscos fogareiros.


Mas não é tudo. O banquete conta com uma mesa cheia de queijos e enchidos. Outra repleta de entradas e uma outra atulhada de doces. As iguarias estão ali a desafiar-nos, como quem nos pisca o olho. Podemos comer e repetir as vezes que quisermos. É a arte de manducar em todo o seu esplendor.

O melhor é fazer uma dieta super hiper minimalista uns dias antes de marcar uma visita ao Alcanena.

 

O restaurante tem mais de quatro décadas de história e é paragem obrigatória para quem conjuga o verbo empanturrar. No espaço há um “wall of fame”, com fotografias de algumas figuras públicas, como Simão Sabrosa, Jorge Costa, o saudoso Camilo de Oliveira, Joe Berardo, Paulo Portas, Herman José, Sousa Cintra, José Nabeiro, entre muitos outros que se renderam ao manjar farto.

É a casa mãe do restaurante Dona Isilda, que pertence à mesma família e também funciona com buffet. Tem três salas e capacidade para 180 pessoas, já foi um salão de jogos e café, marisqueira e até chegou a ter dormidas nos anos 60.

A decoração é feita com a história da casa e tem pormenores, como a lareira na adega, a última das salas, que tornam o ambiente acolhedor e familiar. O preço é fixo (20€) e não há multibanco. Encerra às quartas-feiras e aos domingos ao jantar.

É preciso ter estômago para ir ao Alcanena. Está preparado para comer que nem um abade?