parallax background

Reborn:
dar uma nova vida aos materiais

7th September 2019
Dois dos 10 melhores moscatéis do mundo são de Setúbal
5th September 2019
SSSabem tão bem…
9th September 2019
Publicidade
Vertigem MREC #3
 

Como é que se transformam materiais descartados, que acabariam no lixo, em nobres peças de arte? Reborn é a resposta. Se ainda não conhece, tem de passar por esta pequena oficina de reciclagem criativa da Baixa de Setúbal.


Tem carisma e uma mensagem a transmitir. E além de tudo está numa das ruas mais bonitas da cidade. Já aqui lhe falámos na Arronches Junqueiro e agora temos mais um ponto de paragem obrigatória para acrescentar ao roteiro.

A Reborn abriu as portas (no número 95) há um par de meses. Na mesma altura em que Eugénia de Almeida renasceu. Aos 57 anos. É tão possível como criar um belo colar a partir de um CD antigo, um vistoso jarrão com jornais e revistas ou uns brincos originais a partir de uma lata de refrigerante. Dá trabalho, sim. Mas vale a pena!

 

Que o diga Eugénia. “Todos os materiais descartados são para mim um desafio, e a minha maior satisfação é encontrar uma nova forma de os reutilizar”, diz. Conversa com o InspireSetubal enquanto cria um candeeiro de mesa. O resultado é um efeito quase caleidoscópio, a fazer lembrar o vidro de Murano, embora os únicos recursos utilizado tenham sido papel de jornal já desfolhado e páginas de revistas lidas e relidas.

Eugénia tem esse dom. Assim como o de receber quem passa e espreita a montra. Gosta de desafiar os visitantes, sobretudo os mais pequenos, a pegar e a experimentar as peças. Sem receios porque esta arte tem uma função. Nasceu com um propósito.

“O objectivo da marca é contribuir para a consciencialização de que os materiais descartados podem ser reaproveitados de muitas formas, e que todos temos um papel importante na conservação do meio ambiente”, explica.

 

Dedicou-se durante mais de três décadas à gestão na área da distribuição alimentar. Em 2017, por reestruturações internas da empresa onde trabalhava, ficou desempregada. A paixão pelo artesanato já lá andava, pelo sótão de casa…


“Fui fazendo pesquisa de técnicas e, aproveitando alguns materiais lá de casa cujo destino era o lixo, comecei a fazer pequenas peças de bijuteria e decoração”, recorda. Quando ficou sem trabalho surgiu a oportunidade de criar o projeto profissional que já trazia no pensamento.


“Ao longo de vários anos o conhecimento das técnicas e a precisão na sua aplicação foi crescendo e a pesquisa contínua de novos materiais, técnicas e tendências de design ajudaram a desenvolver a minha identidade como criadora”, refere.

 
 

Autodidata, é certificada pela CEARTE como artesã na arte de trabalhar papel e de fabrico de bijuteria. Assume que é inspirada pelo artesanato tradicional, da cestaria à cerâmica, da joalharia aos bordados.


Na Reborn - Upcycled Jewelry&Handcraft há peças únicas, desde bijuteria a artigos de decoração, totalmente feitas à mão, a partir de 5€.


Eugénia de Almeida quer que a sua oficina seja “um exemplo simples de sustentabilidade e de economia circular inserido no seu meio, e onde a reutilização de materiais descartados acrescenta beleza à beleza das peças”. Porque às vezes é possível nascer de novo, e nascer melhor.