parallax background

A Refood Setúbal continua à procura de casa

30th September 2019
Quer ganhar uma viagem à mítica Route 66?
27th September 2019
Sabe qual é a melhor forma de enfrentar a rotina?
1st October 2019
Publicidade
Vertigem MREC #2
 

A Refood é uma organização independente, 100% voluntária, que trabalha para eliminar o desperdício alimentar e a fome nos locais onde se encontra representada, envolvendo toda comunidade numa causa comum.


Em Setúbal, foi criada em 2014 e tem funcionado até agora com a operação “Pão e bolos”. Para avançar, a Refood Setúbal precisa de uma casa. De porta em porta, a procura por esse espaço que tanta falta faz dura há quase 5 anos mas importa não baixar os braços. Vamos todos ajudar?

“A fase em que nos encontramos é a fase inicial de todos os núcleos Refood, uma vez que só são núcleos após a existência de um espaço físico, espaço esse que nós ainda não temos”, começa por dizer Filipa Bento, voluntária na Refood Setúbal, que faz gestão de voluntários e de redes sociais, ao Inspire Setubal.

 
 

“Para funcionar em pleno, diminuindo mais desperdício alimentar e ajudando mais pessoas, a Refood Setúbal precisa de encontrar o seu núcleo, o seu centro de operações”, continua, acrescentando que “é necessário um espaço em Setúbal que tenha entre 50 a 80 metros quadrados com possibilidade de ligação a água e eletricidade”, porque só um espaço com estas características “possibilita o devido armazenamento de comida” e consequentemente “a criação de parcerias com restaurantes”.


Com o tempo a passar, a missão de encontrar um espaço parece tornar-se cada vez mais difícil. “Não podemos alugar nem comprar, tem que ser um espaço cedido e isso é o mais difícil de acontecer”, explica, tendo conhecimento que “em outras freguesias do país houve espaços cedidos por centros comerciais, em Matosinhos, e até empresas, em Cascais”.


Até ao momento, o trabalho realizado pela Refood Setúbal, com a campanha Pão e Bolos, a acontecer todos os dias da semana, consiste em rotas distribuídas por voluntários que, com viatura própria, são intermediários entre os parceiros que doam excedentes alimentares e as instituições que recebem as doações.

“Já temos alguns equipamentos, nomeadamente máquina de lavar loiça e três frigoríficos oferecidos por uma empresa de eletrodomésticos”, referem Ana Cristina Custódio e Marta Bravo, voluntárias da Refood Setúbal desde o seu início, adiantando que se torna urgente “pôr o projeto a funcionar na sua totalidade, uma vez que ao longo destes anos temos recebido muitos pedidos de ajuda que não podemos concretizar”.

 
 

Na Refood Setúbal, a Pastelaria Bambu, a Pastelaria Docinho de Mel do Montalvão, o ATL ACM Montalvão, o Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores da Câmara Municipal de Setúbal e o Pátio da Casa são os seus parceiros, que doam os alimentos a instituições como o Centro Jovem Tabor, Irmãs de Apresentação de Maria, APPACDM, a Associação de Professores e Amigos das Crianças do Casal das Figueiras e a Cáritas.

Com o objectivo de melhorar a qualidade de vida das pessoas mais carenciadas, e ao mesmo tempo reforçar o tecido social da comunidade local, a Refood “aspira a um mundo onde todos têm a comida de que necessitam e onde os cidadãos participam ativamente na gestão dos preciosos recursos da comunidade para transformar o mundo num lugar melhor”.

Se sabe de algo e sente que pode ajudar de alguma forma, pode entrar em contacto com a Refood Setúbal através do Facebook, do e-mail refood.setubal@gmail.com ou do contacto telefónico 917 344 523

Artigo escrito por Inspire Culture Lover