Fomos ao choco e ficámos com o rei na barriga

25th September 2019
Vêm aí três dias de cultura grátis
24th September 2019
Setúbal está na rua e sábado há Noite Sadina
26th September 2019

O restaurante Casa Santiago, em Setúbal, é conhecido como o Rei do Choco Frito. Lá entrar é quase tão difícil e encantador como entrar num castelo. Talvez seja por isso. Mas o choco… esse é um autêntico banquete.


Quem aqui instaurou a monarquia, que reina desde a abertura do espaço, em 1974, foi Virgílio Santiago. Por direito sucessório, quem herdou o trono foi o filho, Júlio, que o mantém firme e seguro.

O espaço está extremamente bem localizado, na zona nascente da avenida Luísa Todi, virado para a rotunda das sardinhas e para os ferries de Tróia. Nas costas, tem o Museu do Trabalho, o bairro de São Sebastião e o seu miradouro. Está tão enraizado na vida deste lugar que já faz parte da paisagem.

O restaurante Casa Santiago, em Setúbal, é conhecido como o Rei do Choco Frito. Lá entrar é quase tão difícil e encantador como entrar num castelo. Talvez seja por isso. Mas o choco… esse é um autêntico banquete.


Quem aqui instaurou a monarquia, que reina desde a abertura do espaço, em 1974, foi Virgílio Santiago. Por direito sucessório, quem herdou o trono foi o filho, Júlio, que o mantém firme e seguro.

O espaço está extremamente bem localizado, na zona nascente da avenida Luísa Todi, virado para a rotunda das sardinhas e para os ferries de Tróia. Nas costas, tem o Museu do Trabalho, o bairro de São Sebastião e o seu miradouro. Está tão enraizado na vida deste lugar que já faz parte da paisagem.

Casa Santiago

Morada

Av. Luísa Todi 98, Setúbal

Telefone

(+351) 265 221 688

Horário

12:00H-15:00H
18:00H-22:00H

Folga semanal

Domingo

Preço
 
 

A fama e a boa comida valem-lhe filas à porta. Fica já o aviso: é melhor ir bem cedo.
Não há muito tempo, sentou-se ali ao lado o Choco Pessoa, uma escultura do artista “Zé Nova”, que convida a umas fotografias e ajuda quem está à espera a passar o tempo.

Não se assuste, na maior parte das vezes a demora não é muita. Esperámos a nossa quota-parte até nos sentarmos na esplanada coberta e pedimos choco frito. Tinha de ser. Também há carne assada, tenra e bem temperada, que normalmente é a escolha dos mais pequenos.

Na sala interior, mais rústica e de ambiente clássico, chamou-nos a atenção um apontamento algo kitsh, mas delicioso: uma luz neon em forma de coroa. Para que não haja dúvidas!
Mas demorámos mais os olhos nas prateleiras onde repousavam “as intocáveis”, garrafas de moscatel e uísque. Ali de frente, alguns clientes mais apressados trincavam a tão clássica sandes de choco, vendida a 3€ e que vai tão bem com a imperial. O tempo não deu para mais porque o choco chegou à mesa.

 

Júlio garante que foi aqui há 45 anos que nasceu esta iguaria e não abdica do título monárquico. Mas, como em todas as boas histórias de reis, há aqui um rival e uma disputa pela coroa! Foi em 1987, que Leonel Santiago, irmão de Virgílio, montou acampamento no extremo oposto da Luísa Todi, na Adega Leo do Petisco, e se lançou à conquista. Estava aberta a guerra pelo melhor choco da cidade.

A história é entusiasmante, mas o choco já está à nossa frente e vem mesmo quentinho. Como num banquete real, os pratos têm o monograma da casa e o choco é digno da realeza. Tão bem frito que até parece que fica mais picante, estaladiço e com limão. A dose, a 15€ sem guarnição, é generosa e pode ser dividida por dois. Meia dose de batata frita (1,60€) e uma salada (3,20€) fazem o repasto ficar mais composto.


O choco é realmente bom. O atendimento é eficaz, embora de poucas palavras.


Para aqueles dias em que só apetece choco frito é uma boa opção. Vai ficar com o rei na barriga… e no pensamento!